segunda-feira, 16 de março de 2009

PLANTEL -44/45



Guarda-redes-
Santos
Dionísio
Luis

Tomaz


 
Defesas-
Lucas
Rosendo
Ferro
Mario Julio


 

Médios-
Romeu 

Xavier
Manuel da Silva
Soeiro
Jorge



 Avançados-
Chico Chico
Cesário

Lipica
Florival
Eduardinho
Custódio



 




Participante no Campeonato Regional do Algarve










2 comentários:

Anónimo disse...

Infelizmente, não há quem se debruce sobre a história do Clube de Futebol Marítimo “Os Lacobrigenses”, filial n.º 6 do Clube de Futebol “Os Belenenses”, fundado, salvo erro, em 1923 ou 1926, assim como sobre a história do Sport Lisboa e Lagos, também uma das primeiras filiais do Sport Lisboa e Benfica, os dois clubes desportivos mais importantes da cidade, a seguir ao Esperança. Tanto dinheiro que a Câmara gasta em tantas coisas supérfluas, e os senhores políticos ainda não tiveram o discernimento de pôr os historiadores que ela conta nos seus quadros a pesquisar sobre a história desportiva (e cultural) da cidade no século XX (para não falar no século XIX), que é das mais ricas do país.

Aproveito para dar alguns elementos sobre os jogadores do CF Marítimo “Os Lacobrigenses” que conheci. Não refiro todos, porque a alguns não conheci pessoalmente e de outros já esqueci os nomes.

Da esquerda para a direita: guarda-redes, meio cortado na foto, José Matias (o “Espertinho”, meu vizinho e amigo pessoal de meu pai, embora uns três ou quatro anos mais velho, aliás, como todos os outros); Domingos Coelho, que a par de outras actividades viria a abrir restaurante na rua que vai da Rua Direita para a Praça Gil Eanes, ao lado da Rua das Barrocas, de que não recordo o nome; José Lucas, um de uma família que deu vários jogadores daquele tempo, quer ao Marítimo, quer ao Esperança, também meu vizinho e amigo pessoal de meu pai; Salvador (de quem não recordo o nome próprio), também vizinho e amigo, lesionado num joelho, de que viria a padecer durante o resto da vida, barbeiro, com estabelecimento pegado às muralhas da Porta dos Quartos, e, depois de derrubado aquando da reconstrução dos panos, em 1960, em casa, ao início da Rua Infante de Sagres depois da bifurcação com a Rua da Atalaia; do seguinte não me recordo; Borlinha, durante muitos anos com oficina e estabelecimento de sapataria na Rua do Forno; do seguinte também não me recordo; meu tio Pedro Rodrigues, cunhado de meu pai, também referido por Pedro de Jesus (?) e conhecido por Pedro Nobre e por Pedro “Chocolate”, devido à sua tez morena de judeu; não recordo o nome do seguinte, mas trata-se de um morador na Ponte ou em S. João; dos dois seguintes não recordo os nomes.

É uma pena que a Câmara, ou algum amador, não colijam e divulguem elementos sobre a vida desportiva e cultural duma cidade que chegou a ser capital do Reino do Algarve e que desenvolveu actividade de relevo durante o século XX, muito à frente de cidades maiores e mais importantes. Basta referir que chegou a ter activos, simultaneamente, dois Teatros e mais de uma dezena de clubes ou sociedades desportivas e recreativas que desenvolviam actividades regulares, desde representações teatrais a récitas populares.

JMC.

ARQUIVO CFEL disse...

Obrigado pela informação.
Já agora,disseram-me que o segundo jogador do Marítimo,a contar da direita,era o PACHECO,que jogava(ou jogaria) no Portimonense.